atlas-copco-fabricas-inteligentes-motor-pneumatico

Os diferentes modelos de motor pneumático existentes no mercado podem ser selecionados e aplicados conforme o perfil de cada aplicação. Assim, antes de escolher o equipamento correto, é fundamental avaliar as necessidades do seu negócio. Para não ter dúvidas, siga as dicas a seguir.

1. Determine a potência ideal para o ponto de trabalho requerido

Ao selecionar um motor pneumático para determinada aplicação, o primeiro passo é estabelecer o chamado “ponto de trabalho” – ele é a combinação da velocidade operacional desejada para o motor e o torque necessário no ponto de trabalho.

Para esse mesmo ponto de trabalho, haverá uma grande gama de opções de motor pneumático. No entanto, como é mais eficiente acionar um motor pneumático na velocidade de saída máxima, o ideal é selecionar o motor que produza a potência máxima mais próxima do ponto de trabalho. Assim, o consumo de ar também será menor.

atlas-copco-fabricas-inteligentes-motor-pneumatico-1

Uma vez identificado o tamanho ideal do motor, basta olhar para as curvas de desempenho para cada tipo de motor e escolher o modelo com a maior potência mais próxima à área de trabalho, ou seja, torque x velocidade.

A potência requerida no ponto de trabalho é calculada pela seguinte fórmula:

atlas-copco-fabricas-inteligentes-motor-pneumatico-2

Você consegue fazer esses cálculos com mais facilidade em nossa ferramenta de suporte ao cliente: o Guia de Seleção de Motores Pneumáticos. Por meio dela, é possível aplicar todas as variáveis, verificar as curvas de torque por motor sugerido, acessórios complementares, entre outros dados.


 

2. Calcule a pressão necessária

Às vezes, o motor opera com outras pressões de alimentação diferentes de 6,3 bar. Nesses casos, seu desempenho deve ser recalculado para garantir que a potência de trabalho possa ser alcançada. Para calcular o desempenho em pressões de fornecimento diferentes de 6,3 bar, multiplique os dados em 6,3 bar pelos fatores de correção mostrados na tabela abaixo.

atlas-copco-fabricas-inteligentes-motor-pneumatico-3

3. Identifique o torque de partida e o torque de estol necessários

Muitas aplicações exigem que um motor produza um torque mínimo na partida – esse dado pode ser consultado nas especificações técnicas do equipamento. Se for necessário modificar a saída do motor, mas também manter um alto torque de partida, a técnica de estrangular o fluxo de ar deve ser utilizada.

Outras aplicações demandam o uso de um motor que trabalhe com certo torque de estol – aquele produzido quando a velocidade de saída do motor é reduzida, podendo atingir a parada do motor.

O torque de estol pode ser calculado consultando o “torque na saída máxima” e multiplicando esse valor por dois. Uma técnica de ajuste da pressão deve ser usada onde é desejável controlar o estol torque.

atlas-copco-fabricas-inteligentes-motor-pneumatico-5

O Torque de Estol ou de parada é aquele que reduz a velocidade do motor devido à carga aplicada a ele.


4. Avalie a necessidade de aceleração da carga externa

Certas aplicações buscam o uso de aceleração da velocidade sob determinadas condições de carga. Nesses casos, a escolha do motor envolve cálculos complexos.

É recomendável procurar uma orientação do fabricante antes de prosseguir.


 

5. Monitore o limite de carga externa

Sempre siga as especificações técnicas para a escolha do motor pneumático, verificando se as cargas externas aplicadas estão dentro dos limites calculados. Caso isso não ocorra, haverá um baixo desempenho do motor pneumático na aplicação.


 

6. Avalie os níveis de ruído aceitáveis

Os ruídos gerados por um motor pneumático são causados principalmente pelo ar de exaustão do motor. Seus níveis aumentam com a velocidade e é maior na velocidade livre.

Por isso, prefira modelos com uma porta de escape com rosca. Para reduzir o nível de ruído, é possível montar um silenciador na exaustão. Uma mangueira de escape de tamanho adequada também pode ser instalada e, quando usada com um silenciador, tende a reduzir ainda mais os níveis de ruído.


 

7. Considere a temperatura ambiente

Os motores pneumáticos da Atlas Copco podem operar de maneira confiável em temperaturas ambientes que variam de -20°C a +60°C. Em temperaturas abaixo de +5°C, entretanto, o ar comprimido pode precisar ser tratado por secadoras para evitar problemas de congelamento.

Muitas vezes é possível operar esses motores pneumáticos em temperaturas muito mais altas, mas antes vale consultar o time técnico da Atlas Copco.


 

8. Pondere a hostilidade do ambiente

Um bom motor pneumático é preparado para operar com pouca ou nenhuma modificação em muitos ambientes hostis, que podem conter:

● ácido;
● risco de explosão;
● conteúdo radioativo;
● alta temperatura;
● umidade excessiva;
● poeira excessiva;
● campos elétricos intensos;
● localização subaquática.

Para garantir, no entanto, um serviço seguro e confiável, recomendamos sempre consultar o fabricante sobre a capacidade de o equipamento suportar essas condições.


 

Conheça o Guia de Seleção de Motores Pneumáticos da Atlas Copco. A ferramenta pode ser utilizada como catálogo de dados ou sistema de busca, facilitando a escolha do motor pneumático ideal.

A Atlas Copco possui diversos modelos de motores pneumáticos de palhetas e engrenagens. Fale com nossos especialistas e descubra a solução ideal para a sua aplicação.

atlas-copco-fabricas-inteligentes-enzo-cariolin
Este artigo foi relevante para você?
[Total de votos: 1 | Média: 5]

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação de